Zumbido no Ouvido: Causas, sintomas e tratamento

zumbido-no-ouvidoEmbora se refiram a ele como “zumbido nos ouvidos”, o zumbido pode ser identificado como muitos sons diferentes, incluindo sons sibilantes, estalos e apitos.

O zumbido afeta 1 em cada 10 adultos e é mais provável em pessoas com mais de 60 anos.

As causas comuns são exposição excessiva ou cumulativa a ruídos, lesões na cabeça e no pescoço e infecções de ouvido. Em um número pequeno de indivíduos, o zumbido é um sinal de um problema médico subjacente mais grave.

Não há cura para o zumbido, embora existam várias opções para controlá-lo. A maioria das pessoas com zumbido crônico se adaptam ao zumbido com o tempo.

Para outras, o zumbido pode ser debilitante e levar à insônia, dificuldades de concentração, baixo rendimento escolar ou no trabalho, irritabilidade, ansiedade e depressão.

Fatos sobre o zumbido

Veja aqui alguns pontos chave sobre o zumbido.

  • Cerca de 50 milhões de americanos sofrem de alguma forma de zumbido
  • aioria dos casos de zumbido é causada por lesões na cóclea (ouvido interno)
  • A palavra zumbido vem do latim “tilintar” ou “tocar como um sino”
  • Alguns medicamentos podem causar ou piorar o zumbido. Um agente causador muito conhecido é a aspirina, principalmente se tomada em grandes doses.

O que é o zumbido?

O zumbido é a percepção consciente de um ruído que não é gerado por nenhuma fonte fora do corpo. Não é uma doença, mas sim o sintoma de um problema subjacente.

Em quase todos os casos, o zumbido é um ruído subjetivo, ou seja, somente a pessoa que o tem pode ouvi-lo. A forma mais comum dele é o zumbido agudo e contínuo. Embora o zumbido possa ser irritante, ele geralmente não é um sinal de algo mais sério.

Causas do zumbido

A causa mais comum do zumbido é o dano e perda das minúsculas células sensoriais ciliadas da cóclea no ouvido interno.

Esse dano tipicamente ocorre como resultado do processo normal de envelhecimento e da exposição prolongada a ruídos excessivamente altos. A perda de audição coincide com o zumbido.

Pesquisas também sugerem que a perda sensorial de certas frequências sonoras leva a mudanças na maneira de como o cérebro processa os sons.

Conforme o cérebro recebe menos estímulos externos de uma frequência específica, ele começa a se adaptar e mudar. O zumbido pode ser o modo de como cérebro preenche a falta de frequências sonoras que ele já não recebe mais de seu próprio sistema auditivo.

Alguns medicamentos como aspirinas, ibuprofeno, certos antibióticos e diuréticos podem ser ototóxicos –  que causam danos no ouvido interno, resultando no zumbido.

Outras possíveis causas do zumbido são:

  • Lesões na cabeça e pescoço
  • Infecções de ouvido
  • Um corpo estranho ou cera de ouvido tocando no tímpano
  • Problemas na Trompa de Eustáquio (ouvido médio)
  • Disfunção da articulação temporomandibular (DTM)
  • Endurecimento dos ossos no ouvido médio
  • Traumatismo cranioencefálico
  • Doenças cardiovasculares
  • Diabetes

Uma forma potencialmente mais séria de zumbido pode soar como um batimento cardíaco (pulsátil); ele pode indicar um crescimento anormal, talvez um tumor ou uma conexão anormal entre uma veia e uma artéria, na região do ouvido. Esse tipo de zumbido requer uma avaliação médica o mais rápido possível.

Fatores de risco para o zumbido

O zumbido é um problema comum da população em geral com fatores de riscos visíveis que aumentam o risco de alguém desenvolvê-lo. Eles incluem:

  • Exposição a ruídos de trabalho, fones de ouvido, shows, explosivos
  • Fumar
  • Sexo – homens são mais afetados que as mulheres
  • Perda de audição
  • Idade – pessoas mais velhas são mais propensas a desenvolver o zumbido

Sintomas do zumbido

O zumbido é um ruído grave ou agudo interno, extra-auditivo que pode ser intermitente ou contínuo em um ou ambos os ouvidos. As variações dos sons de zumbido foram descritas como um som de apito, pio, estalo, sibilo, estática, zunido, silvo, palpitante ou musical.

O volume do som pode variar e é mais perceptível à noite ou em períodos mais silenciosos. O zumbido frequentemente vem acompanhado de uma certa perda de audição.

Testes e diagnósticos para o zumbido

É importante que alguém que sofra de zumbido passe por avaliação médica e por exames minuciosos para determinar uma causa subjacente.

Um dos principais objetivos de uma avaliação médica é excluir uma causa fatal (embora seja raro) para o zumbido. Um encaminhamento para um otorrinolaringologista (especialista em ouvido, nariz e garganta) pode ser necessário.

Perguntas que um médico pode fazer durante a avaliação:

  • Como e quando o zumbido começou?
  • Os ruídos são constantes, intermitentes ou pulsantes?
  • Ele está acompanhado de perda de audição e tontura?
  • Dói ou há estalos na mandíbula?
  • Você teve uma doença ou lesão recentemente?
  • Você ficou exposto à ruídos altos como um show de rock ou explosivos?

Pode esperar passar por um exame completo de ouvido, cabeça, pescoço e torso, assim como exames auditivos minuciosos, exames de sangue e em alguns casos, estudo por imagens como parte dos procedimentos.

Tratamento para o zumbido

Tratar qualquer causa subjacente do zumbido é o primeiro passo para lidar com o problema, assim como o cuidado imediato para uma infecção de ouvido, interrupção de medicamentos ototóxicos e tratamento de DTM.

Para a maioria das pessoas que sofrem com zumbido, não há cura. A maioria “se acostuma” com ele e aprende a ignorá-lo.

Esforçar-se para ignorar o zumbido em vez de prestar mais atenção nele pode trazer grande alívio.

Quando isso não funciona, os melhores tratamentos são aqueles que abordam os aspectos que tornam o zumbido mais difícil; aliviar a insônia, ansiedade, dificuldades de audição, isolamento social e tratar a depressão podem melhorar significantemente a qualidade de vida de uma pessoa.

Além disso, há muitas outras coisas que uma pessoa pode fazer para controlar o zumbido com sucesso, algumas delas estão logo abaixo.

Terapia do som

A terapia do som é um termo amplo que incorpora o uso de ruídos externos para mascarar a percepção do zumbido de uma pessoa. Músicas de fundo em volume baixo, ruído branco ou aparelhos auditivos mascaradores de zumbido podem ser muito eficientes.

A escolha do som para mascarar deve ser agradável para a pessoa. Aparelhos mascaradores são um alívio temporário, pois a consciência do zumbido retorna quando a terapia do som acaba.

Aparelhos auditivos são um tipo comum de terapia do som, eles amplificam os sons do ambiente e redirecionam a atenção para eles em vez do zumbido.

Terapia de retreinamento do zumbido

A terapia de retreinamento do zumbido envolve retreinar o sistema auditivo para aceitar o ruído anormal do zumbido como algo natural em vez de perturbador.

Isso é feito com a ajuda de profissionais treinados e aparelhos auditivos que emitem ruído branco de baixa frequência. Esse tipo de terapia requer sessões de orientação contínuas para ajudar a pessoa a lidar com o zumbido.

O sucesso dessa terapia é proporcional à intensidade do zumbido de uma pessoa e à sua saúde mental como um todo. Estudos de acompanhamento sugerem que 80% dos indivíduos obtiveram algum alívio do zumbido com essa terapia.

Estilo de vida saudável

Embora melhorar o bem-estar de uma pessoa não vá acabar com o zumbido, isso pode limitar sua intensidade e proporcionar imensos benefícios físicos, emocionais e espirituais. Exercícios, hábitos alimentares saudáveis, sono de qualidade, parar de fumar, atividades de recreação e sociais, controle do estresse e técnicas de relaxamento são coisas que uma pessoa pode considerar para alcançar um bem-estar ideal.

Uma das causas de prevenção do zumbido é a exposição a ruídos. Algumas vezes o zumbido pode ser identificado muito antes que a perda de audição se desenvolva. Usar protetores auriculares em ambientes ruidosos e ter bom senso ao usar aparelhos de som podem prevenir a piora ou futuro dano auditivo.

Infelizmente, isso não pode reverter o dano já feito.

Leave a Reply